Postagens

Mostrando postagens de Março, 2018

DESTAQUE

Adultério e Divórcio

Imagem
O casamento heterossexual era o único reconhecido na Grécia clássica, mas os maridos não sofriam limitações sexuais. "Para o marido grego, ser privado de prazer estético ou sensual, pelo fato de estar casado, era algo que estava além de seu entendimento.  A sociedade e a moral da época reconheciam a natureza poligâmica do homem que naturalmente, atuava de modo correspondente." Os homens podiam ter relações extraconjugais com concubinas, cortesãs e efebos - jovens rapazes.

A única proibição eram mulheres casadas. Menos para quem dispunha de recursos ou influência. Alcibíades, exilado e Esparta e Atenas.
"Mas, de maneira geral, todo aquele que fosse surpreendido cometendo adultério com uma mulher casada podia escapar, no melhor dos casos, pagando uma multa e, no pior, pelo infamante costume do rapanismós, ou seja, era enfiado, em público, um rabanete no seu ânus."

A hora do marido era tão importante que, de acordo com uma antiga lei de Drácon - legislador ateniense do s…

A VIDA CONJUNGAL GREGO

Imagem
Os cidadão gregos casavam para ter filhos do sexo masculino, assegurando a continuação da família, unindo os clãs poderosos e suas fortunas e protegendo, assim, interesses comuns. Não era cogitado sentimento entre noivos.
Muitas vezes nunca tinham se visto antes que tudo fosse combinado por suas famílias. "A esposa ateniense, enclausurada, presa aos dever, mentalmente circunscrita, não é invenção da sátira nem de romance, é, ao contrario, um retrato da dona de casa das classes superiores de Atenas, lá pelo ano de 400 a.C.

Mulher respeitável não devia ser vista em público, a não ser por algum sério motivo. Quando recebiam convidados, eram confinadas ao gineceu.
Escravos cuidavam dos visitantes. O homem saía sozinho e passava o dia em lugares públicos. Encontrava amigos e se divertia nas palestras, nos jogos e jantares organizados para os homens, seguidos por bebedeiras, discussões e passatempos, que, na maioria das vezes, terminavam em orgias, com a participação das indispensáveis he…

ANTIFEMINISMO NA GRÉCIA ANTIGA

Imagem
A repulsa contra o casamento era parte geral contra a mulher e seu mundo. O antifeminismo grego com as crianças levadas, ameaçadas com demônios forma de mulher. Elas cresciam ouvindo lendas como a de Pandora, fonte dos males humanos, e de Helena, causa da terrível Guerra de Troia. Os gregos. Os gregos acreditavam numa mulher por trás de todas as guerras.

Aristóteles afirmava o masculino como superior ao feminino em mente, corpo e processo procriador. Para ele, o sêmen continha a alma e as secreções femininas formavam o corpo físico. Eurípedes retratou a mulher como adúltera e perversa; Aristófanes satirizava-a beberrona, fofoqueira, briguenta e ambiciosa.