DESTAQUE

O que as mulheres sentiam?

Imagem
A História é escrita pelos vitoriosos, e nessa guerra entre homens e mulheres não é diferente. Não há livros sobre o amor escrito pelas esposas gregas. O máximo que se pode fazer é colher dados das tragédias de Sófocles e Eurípedes, e nas comédias, e nas comédias de Aristófanes. "Mas isso não provaria nada; toda literatura foi escrita por homens e, principalmente, para homens. O produto não seria propriamente uma reprodução das atitudes da esposa grega; seria uma ficção do espírito grego masculino; uma imaginária megera criada pelo homem para justificar sua própria atitude hostil e opressora, com a mulher."

A esposa ateniense só tinha contato com seu marido. Ele era seu senhor, pai dos seus filhos e provedor do lar. É comum, apesar do ódio pelos opressores, pessoas desenvolverem um tipo de afeto por eles. Podemos imaginar então que a esposa grega tenha sentido uma espécie de amor pelo marido, embora esse sentimento possa não ter nada a ver com o que chamamos hoje de amor.

Entr…

A Verdadeira História do Amor


O intuito desse site é divulgar e esclarecer cruzamentos entre o passado e o presente e reflexões sobre o tema para dar conta de uma questão tão fundamental à compreensão do amor na contemporaneidade.   

Quanto a experiencia amorosa ocidental se modificou e se repetiu ao longos dos últimos milênios? 

Da Pré-História ao século XXI, as vivências do amor e do sexo têm sido moldadas culturalmente.
Sujeitos a paradigmas morais, dogmas religiosos, interesses políticos, econômicos e sociais, homens e mulheres desempenham papéis em constante mutação.

Se houve um período em que a participação masculina na procriação foi ignorada, haveria outro em que a certeza da paternidade faria dos homens senhores absolutos, e das mulheres, criaturas submissas e cativas em seus próprios lares.
Durante a Antiguidade Clássica, os gregos entendiam o amor como distração ou aflição imposta pelos deuses, e a relação entre dois homens era vista como exército de força e virtude. Na Idade Média surgia o cavalheirismo, a corte e a renúncia total ao corpo. Mas a repressão do desejo jamais se processa impunemente.

Antes da revolução sexual promovida no século XX pelo surgimento da pílula e dos movimentos feministas e gay, milhares foram queimados em fogueiras pela associação do erotismo ao demônio.

- O livro do Amor (Regina Navarro)


Comentários

  1. “Sempre permaneça aventureiro.
    Por nenhum momento se esqueça de que a vida pertence aos que investigam.
    Ela não pertence ao estático;
    Ela pertence ao que flui.
    Nunca se torne um reservatório,
    sempre permaneça um rio.”

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O que as mulheres sentiam?

A pobreza do casamento da Grécia Clássica e a repulsa ao casamento.

Adultério e Divórcio

A VIDA CONJUNGAL GREGO

Grécia Clássica - Infanticídio

A mulher adúltera